Planilha de orçamento de obras: entenda como e porque montar

Por Construlino - 4 de novembro de 2019

Fazer o levantamento de custos é um passo indispensável e fator determinante para o sucesso de uma construção. Além de definir etapas, contar com uma planilha de orçamento de obras é extremamente útil para prever recursos, controlar gastos, apoiar a tomada de decisões e muito mais.

 

planilha de orçamento de obras

 

Por isso, preparamos este conteúdo para explicar qual é a importância de se acompanhar de perto o orçamento de uma obra. Portanto, se você ficou interessado no assunto, continue a leitura até o final, pois trouxemos também algumas dicas de como elaborar e preencher o seu próprio documento. Acompanhe!

Por que montar uma planilha para acompanhar o serviço?

A execução de um projeto passa diretamente pela construção do orçamento. Assim, é possível identificar necessidades em cada fase da obra, além de reconhecer com facilidade os serviços a serem executados.

Ainda que todos os cuidados sejam observados, muitas ações previstas podem não se concretizar. Entretanto, negligenciar essa fase pode causar prejuízo significativo nas demais etapas.

Outro detalhe importante da composição de custos de mão de obra, material e equipamentos é a oportunidade de adequar o projeto à realidade da empresa. Muitas variáveis estão relacionadas com essa atividade e, por isso, é fundamental realizar um trabalho detalhista com os demais setores.

Dessa forma, tenha uma planilha sempre a mão para eventuais consultas, de modo a minimizar a ocorrência de erros.

Como montar uma planilha de orçamento de obras?

Um bom orçamento deve conter todos os custos envolvidos em um serviço. Ou seja, é preciso listar as despesas diretas e indiretas, descrever os insumos, serviços, materiais e equipamentos que serão utilizados, além de definir o preço de venda baseado na margem de lucro.

Confira, a seguir, mais detalhes sobre cada etapa.

Defina os quantitativos da sua obra

O primeiro passo para montar sua planilha de orçamento de obras é determinar as quantidades de materiais, equipamentos e mão de obra necessárias para a execução do projeto. Nesse momento, é fundamental ser muito detalhista — por isso, confira se todos os itens estão devidamente quantificados.

Liste os serviços que serão executados

Após definir os quantitativos, é hora de estruturar o orçamento a partir das atividades que serão realizadas na execução da obra. Divida o projeto em fases específicas — por exemplo: fundação, alvenaria, revestimentos e pintura. Essa estrutura será responsável pela organização do cronograma financeiro e facilitará a precificação de cada item.

Faça as composições de preços unitários

Com as tarefas que serão realizadas e os quantitativos em mãos, é hora de efetuar as composições de preços unitários. Para isso, basta discriminar e calcular os gastos com insumos necessários para a execução dos serviços, incluindo os materiais utilizados, o equipamento e a mão de obra necessária. Assim, você terá como resultado o valor unitário de cada atividade destacada.

Identifique os custos indiretos

Os custos indiretos são aquelas despesas que não estão diretamente ligadas à obra e, por isso, são mais difíceis de serem previstas. Contudo, é fundamental fazer um levantamento sobre esse tipo de gasto, especialmente porque ele pode impactar no andamento da obra.

De modo geral, essas despesas estão relacionadas à energia elétrica, água e alimentação, entre outros.

Estruture o BDI

Para que sua planilha não fique incompleta e incompatível com os custos gerais da obra, adicione o valor dos impostos e taxas que incidem sobre o licenciamento e os demais processos burocráticos da construção. Por fim, encontre o preço de venda a partir do BDI (benefícios e despesas indiretas).

Para determinar o preço de venda com margem satisfatória de lucro, basta utilizar a seguinte fórmula:

  • Preço de venda = custo direto x (1 + BDI / 100)

Como vimos, montar uma planilha de orçamento de obras é um processo muito desafiador, pois envolve uma série de cálculos e variáveis importantes. Assim, para facilitar o trabalho, é possível contar com o auxílio de softwares capazes de elaborar estimativas de maneira mais rápida e eficiente.

Agora que você já sabe como esse tipo de ferramenta é indispensável para controlar as principais tarefas de uma obra, aproveite para descobrir como planejar uma reforma!

Você também pode gostar

Recomendados para você

Obra e Construção 4 exemplos de pequenos reparos para fazer durante a quarentena

Com a pandemia causada pelo Coronavírus que assola o Brasil e o mundo, a população se viu orientada a praticar o isolamento social na tentativa de frear a disseminação do vírus. Por conta disso, quem precisa realizar pequenos reparos em casa se viu em uma situação difícil, já que, no momento, não é possível contar […]

Construlino

rachadura na parede
Obra e Construção Rachadura na parede: quais as causas e como consertá-la?

A rachadura na parede é um problema bastante comum em obras mais antigas, mas que vez ou outra também aparece em construções mais novas. As causas para o aparecimento repentino dessas falhas na estrutura podem estar relacionadas ao excesso de peso sobre a laje e à utilização de materiais de baixa qualidade (no caso de […]

Construlino

reboco com gesso
Obra e Construção Reboco com gesso vs. cimento: qual revestimento usar na sua parede?

Atualmente, o segmento de construção civil tem disponibilizado uma diversidade de soluções com o intuito de ajudar quem está construindo ou reformando um imóvel. Diante disso, além do acabamento tradicional feito com argamassa, o mercado tem oferecido outros tipos de revestimentos, como o reboco com gesso, para se aplicar na parede. O revestimento das paredes […]

Construlino